quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Assentamentos - o que falta?

Esta tarde, conheci um pouco da realidade de um assentamento, aqui temos vários, o mais antigo já há vinte anos. Os lotes são grandes, em média 18 hectares, de terras férteis, “onde tudo que se planta dá”, alguns proprietários, fazem bom uso das terras e se desenvolvem. O governo federal tem mandando grandes incentivos, em um dos assentamentos, estão recebendo casas, totalmente de graça, pela informação que tive são ao todo 60 moradias, todas revestidas, com pisos, são de bom tamanho e muito bem feitas. Como em todo lugar, há moradores desmotivados, com casas de chão batido, sem nada plantado. O que faz pessoas com as mesmas condições e incentivos, progredirem ou não? Penso que é a sua própria motivação, os que possuem família, filhos ou parentes próximos, tem motivos para tentar, e buscar as opções que se adaptem a eles. Visitamos um senhor, mora sozinho, numa casa de madeira de duas peças, sem piso, sem banheiro, me mostrou a foto do filho, que não mora mais com ele, não tem esposa, e condicionou sua vida a um financiamento que por motivos simples, vai atrasando e atrasando. Ele acredita que isso, é a solução de seus problemas e que a partir daí, tudo vai mudar, eu já penso que não, o que lhe falta é atitude, motivos para crescer, ambição. Este senhor, numa casa tão humilde, pegou o único enfeite que tinha numa prateleira no quarto e me deu de presente, fez questão que eu aceitasse. Fiquei imaginando sua rotina e cada vez mais me convenço que nenhum financiamento vai mudar sua vida.

*************
Fui convidada por meu colega de trabalho e professor da URI, Pinheiro a participar de sua aula no 6º semestre de ADM, hoje, fazendo algumas colocações sobre Licitações e Compras Públicas, estava louca pra ir, mas a poucos dias tive princípio de pneumonia e, agora estou gripada e com febre, achei melhor ficar em casa tomar um chá e uma aspirina, e alias já estou indo para cama.

**************
Só para constar: o valor orçado para o m² de asfalto aqui no município é de R$ 51,00, aguardamos então a licitação para o calçamento com paralelepípedos, em aproximadamente R$ 23,00 m².

terça-feira, 25 de setembro de 2007

Ainda padrões de uma beleza ficta


Eu adoro, essas pinturas de deusas mitológicas, onde as mulheres são retratadas, muito mais humanas que nas revistas atuais. Não havia foto shopping, para corrigir as sardas, as marcas de expressão, nem para tirar ou colocar um sorriso mais branco, tirar uma gordurinha, colocar uma cor mais bronzeada. O que nos impede de sermos, e nos sentirmos bonitas, como as deusas, cheinhas, brancas, cabelos ondulados. Por que é preciso malhar o verão inteiro, ou então passá-lo dizendo que detesta sol, para não ter que ficar com pouca roupa em público. Onde foi que inventaram o silicone? E quando nos impuseram que a mulher brasileira tem que ter corpão, pouco importa se é lipoaspirado, siliconado ou malhado?
Com nossos atuais critérios de sensualidade e de beleza, podem acreditar, nenhuma mulher quer ser comparada a uma deusa ( cheinha, branquela, sardenta e cabelos encaracolados).

Padrões de beleza distorcidos


Uma campanha publicitária que usa uma modelo anoréxica está roubando a cena na abertura da Semana Internacional da Moda de Milão. Os anúncios, expostos em jornais e outdoors italianos, mostram uma modelo nua sob os dizeres "No Anorexia" (Não Anorexia). A modelo é a jovem francesa Isabelle Caro, que pesa apenas 31 kg.

Não é de hoje que os padrões de beleza, são uma apologia a magreza, roupas perfeitas, desfilam em passarelas deslizando sobre corpos, hiper magros. Manequins, muito bem pagas, ganhando fortunas para desfilarem de cara fechada e nariz empinado, essas são as aspirações de toda adolescente do século XXI. Mesmo as que nem sonham com passarelas, acabam condicionando, sua felicidade, sua auto-estima ao estar dentro dos padrões, em caber dentro daquela calça, daquela bluzinha. Dessa forma, não medem conseqüências, arriscando sua saúde e sua vida, já não era sem tempo, das agências e estilistas, principais responsáveis por esse estigma, iniciarem campanhas de reversão, desse culto a uma beleza esdrúxula.

Pessoas que brilham


Há pessoas que brilham por si só,

e tudo o que tocam, virá diamante,

Há pessoas que se fundem nesse brilho,

e brilham mais ainda,

Há pessoas que se ofuscam com o brilho das outras,

e se apagam,

Só você pode escolher qual será.

Eu sou assim, mas sou Gaúcha...

Acabou!!! Depois de mais de uma semana de festas, comilanças e muita cerveja, sob o pretexto de comemorar o Tradicionalismo e relembrar o bravo povo Gaúcho, findada com muita chuva, voltamos à rotina. Em todas as noites da semana comemorativa, estive presente em algum lugar, CTG ou escola, prestigiei todas as danças, todos os desfiles que foram possíveis, não dancei, porque nunca aprendi a dançar músicas gaúchas, mas assisti, vários grupos se apresentarem, e a primeira coisa que me vêm a mente é como eles são corajosos. Ensaiam o ano todo, não folgam nem nos dias gelados do inverno, roupas caracterizadas, e lá estão eles no meio do salão, sem medo das críticas, sem medo de qualquer julgamento. E, lá estou eu, sentada a uma mesa discretamente, ou melhor meu corpo, está, pois minha mente, divaga, em mil coisas, mil situações: “quero que meus filhos, quando os tiver, sejam muito tradicionalistas, quero que dancem nesses grupos, não quero que tirem notas tão altas, mas quero que dancem muito”, palmas... volto ao salão. -Acabou? Pergunto. –Esse grupo sim, mas tem mais dois! Hum, mais dois. Penso. “o que eu poderia fazer para ocupar minha vida e me sentir útil? Um curso de teatro!!! Isso vou organizar aulas de teatro!!!” Volto a realidade com um sorriso motivador, o grupo ainda dança, faço uma brincadeira no grupo de amigos que estamos: - Onde posso, comprar boleadeiras iguais a essas aí? Vou comprar uma essa semana! Faço questão de no ano que vem fazer esse número, mas com boleadeiras incandescentes! Todos riem, e eu começo a fazer os gestos com boleadeiras imaginárias. Deixo minhas divagações de lado e aproveito o resto da noite.
**************
PS: Não há quase nada sobre Semana Farroupilha nos Blogs de Santiago. Bom, eu o CTG Coxilha de Ronda, ainda estamos pensando nisso, hehe.

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Atualizando...




A Semana Farroupilha, e a visita do Denilson em férias, não me deixaram atualizar o blog. No domingo dia 16 estive no desfile Tradicionalista da Escola Macedo Beltrão do Nascimento em Carovi, o dia estava perfeito, foi uma festa ótima. A noite estive no CTG Gumercindo Saraiva, onde fomos praticamente todas as noites, exceto segunda-feira, que a Escola Júlio Biasi promoveu a festa no ginásio da escola, estava lotado e a comida ótima, os dois grupos de dança do Município se apresentaram, e mais um grupo de Santiago, ambos muito bem ensaiados, fizeram bonito. O CTG, estava mais vazio nesse ano, talvez, porque os grupos de dança saíram com freqüência para apresentações fora, a cidade é pequena, e os dois grupos, somados aos familiares que acompanham dá um bom público. Na quinta-feira, depois de um chuvão, e com a rua cheia de lodo, atravessamos a Avenida desfilando pela UNOPAR, tutores, diretores e alunos do Pólo de Santiago, estiveram presentes. Nem os pequeninos do maternal se intimidaram, aproveitando uma trégua da chuva, desfilaram, orgulhosos de seus pais assistindo, após, o almoço foi no CTG e a tarde muita música e dança..
Nesse final de semana, com tanta chuva, ficamos em casa, assistindo filmes, estudando e lendo jornais. No domingo pela manhã, recebemos a notícia da tempestade de granizo que houve em Nova Esperança do Sul, onde um grande número de casas teve o telhado quebrado. Lá em casa, (casa dos meus pais), não houve quase nada, apenas as parreiras sofreram, e a parabólica como sempre a mais frágil, perdeu umas telas.

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Pedra basáltica, asfalto ou unistain?

Serão calçadas em nossa cidade 18.844 m² de ruas, sendo todo o trecho, na Avenida principal da cidade. Eu como proprietária de terreno nesse trecho tenho grande interesse nas decisões. Este fato, tem sido alvo de comentários, desde que se lançou o edital do calçamento, o valor estipulado no edital é de R$ 23,00 m², para pedras basálticas, podendo variar de acordo com o preço a ser conseguido na licitação. O que não é muito animador tendo em vista nossa localização, pois calcula-se aproximadamente 470 cargas de pedras, não temos nenhuma pedreira próxima, portanto o frete, inexistente em muitos municípios que vem sendo comparados em valores com o nosso, ficam favorecidos. Muitos boatos surgem, e poucos dos interessados nos procuram para saber a real situação, dos que procuram, parecem esquecer-se logo das explicações e batem, como piano quebrado, numa tecla inexistente. Temos direito e dever de buscar o melhor pelo menor preço, mas sempre embasados em fatos verdadeiros, cada município, adota seus critérios, sua própria Lei Orgânica, nada é inventado e nem pode ser manipulado, ora dum jeito, ora de outro, cada município opta por suas prioridades. Devemos comparar, buscando opções e ver o que está dando certo, só criticar, é simples, fácil e qualquer um pode fazer, se dispor a entender e comparar as realidades é para os que tem boa vontade.
Um fator que deve ser analisado, é escassez da matéria prima, a pedra basáltica, é um recurso natural, esgotável e extraído artesanalmente, as cidades estão sempre ampliando as áreas calçadas, nesse final de ano e no próximo ano eleitoral essa demanda tende a aumentar, novas opções começam a ser buscadas, em algumas cidades. O unistain e o próprio asfalto, são opções que ainda apresentam valores mais altos que a pedra, mas tendem a baixar a medida que a procura for aumentando. É fundamental, levar em consideração a realidade de cada obra, e buscar adaptação a mais adequada, conversação e muita demagogia, não calçam ruas. Não há contribuição de melhoria sem contrapartida dos proprietários, acreditar em certas utopias e histórias de municípios mágicos onde tudo é melhor, é para quem tem tempo.

Beijo Adolescente

Quando os lábios se tocam
Os olhos se fecham
E o coração dispara
Não se quer mais nada
Só o momento só o agora.
Porém quando os olhos se abrem,
Os lábios se soltam,
Os corpos se afastam e
Oh, meu Deus!
Já passou da hora.

Elisandra Minozzo

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Tradicionalismo


Desde segunda-feira os cavalarianos aí da foto, entre os quais o vereador João Vargas, partiram da cidade de Mata e estão rumo a Capão do Cipó, trazendo o fogo simbólico da Semana Farroupilha. Estarão aqui na sexta-feira para a abertura, em frente ao CTG Gumercindo Saraiva. Os movimentos tradicionalistas no Município são fortes e há vários piquetes, dedicados a preservar o tradicionalismo, cultivando e revivendo seus legados.

**************

Na última terça-feira, foi aprovado na Câmara de Vereadores, projeto que cria cargo em comissão para assessor legislativo, o ocupante da vaga já está escolhido, e por sinal há dias já andava por lá auxiliando o assessor jurídico. Espero que venha, para agregar valores e conhecimentos ao legislativo, já que o julgaram necessário que faça um excelente trabalho.

Obs: Não fui na sessão, soube hoje.

Baile de Máscaras


Estou lendo Incidente em Antares, de Érico Veríssimo, um livro maravilhoso, onde pude aprender muito sobre história do Brasil e do Rio Grande do Sul. Conta o cotidiano de uma cidade na fronteira com a Argentina, a ficta Antares, desde sua fundação; a rixa entre as famílias Vacariano e os Campolargo, contando as mais perversas atrocidades cometidas, pelos membros de cada uma, em sinal de vingança a outra. Foi assim por várias gerações, até que os interesses das duas foram maiores que o ódio que nutriam e passaram a ser “aliadas”, houve até uma amizade entre Tibério Vacariano e Quitéria Campolargo. Em 1963, houve uma greve geral, no dia 12 de dezembro deste ano, data início da greve, morrem 7 pessoas em Antares, cujos coveiros se negam a efetuar o enterro, e os manifestantes impedem que os familiares e amigos o façam. Os 7 corpos insepultos, adquirem vida e voltam para cidade, a vascular a intimidade dos parentes. Os cadáveres, param no coreto da praça, e como mortos, livres para criticar a sociedade. Cada um tem a palavra e faz seu comentário, alguns contam de casos, de amantes dos mais ilustres cidadãos antarenses, histórias de fraudes, de propinas, de torturas. Uma sátira a atual sociedade, com um olhar crítico aos problemas políticos, econômicos e sociais. O advogado morto Cícero Blanco, é representante dos demais féretros, no auge de suas explanações ele diz que cada um dos presentes, faz uso de diversas máscaras, uma para cada situação, sempre optando pela mais conveniente. Fazendo-nos crer, que ninguém é realmente verdadeiro o tempo todo, as situações, nos impõe certas normas, certos comportamentos, em nome da ética, dos bons costumes, somos cerceados para agir conforme é conveniente. Alguns vão além, e usam as máscaras, por hábito, por gosto e se tornam especialistas em manuseá-las a seu proveito. Eu mesma, lembrei de uma máscara que costumo usar para grandes festas, ela é: “estou muito alegre e não estou com frio”, quando estou louca para ir embora e quase congelada. Mas somos assim, somos humanos e estamos aqui, exatamente para evoluir, nosso papel é vivermos, imperfeitos e o mais felizes possível.

terça-feira, 11 de setembro de 2007

Mais Furtos!!!

Outra vez, os carros da Prefeitura foram alvo dos assaltantes. Serão as mesmas pessoas?
Serão profissionais ou baderneiros? Bom, som não levaram dessa vez, já foram todos.
O que tem que ser feito para dar um fim nisso?
Haverá uma quinta, uma sexta vez? O que vão levar na próxima?

Sábias palavras de Pai!

Nesse final de semana, fui para casa dos meus pais no interior de Nova Esperança do Sul. Um lugarzinho maravilhoso, de paz, um cheiro de lar, de família, onde me sinto forte e capaz de resolver qualquer coisa. Bom, eu tinha passado uma péssima semana, e cheguei contando para eles: - Essa semana, fui na sessão da Câmara de Vereadores e fiquei tão chateada que sai chorando, e devo ter chorado por umas 24 horas, de soluçar (e foi verdade).
O meu pai perguntou com toda sua simplicidade:
- Tu agora é secretária dos vereadores?
E eu disse:
- Não...
- Então, o que tu estava fazendo lá, e porque te importa o que eles pensam?
Tão simples. Porque eu complico as coisas. Os meus pais sempre foram assim comigo, sempre me mostraram que a causa e a solução dos meus problemas partem de minhas próprias atitudes.
Na verdade, tenho uma boa relação com todos os vereadores, a cidade é pequena, aqui conhecemos todo mundo e temos amizade com todos. Não foi culpa deles, mas da forma como eu vi as suas colocações, naquele dia. O que importa é que sei que faço o meu melhor em tudo que faço, e os que realmente me conhecem também sabem. Nem sempre acerto, mas sempre tento. E não vou deixar de acreditar, na política séria, sob medida, com atos e ações respaldas em conhecimento e pensamento de coletividade. Quando deixar de acreditar, de ter esperança, bom, esta não serei mais eu.

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

Mario Quintana: Eternamente Maravilhoso!!!


Poeminho do Contra
Todos esses que aí estão
Atravancando meu caminho,
Eles passarão...
Eu passarinho!
(Prosa e Verso, 1978)
************
Em certos momentos não há nada a ser dito, apenas aguardar que esses instantes, passem. E amanhã, como toda manhã, o sol denovo virá do horizonte, na sua cor alaranjada e a felicidade e a esperança de que hoje tudo vai ser melhor, também.

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Gravidade das queimadas em pleno 2007


Eu sempre soube, que apesar de toda divulgação e campanhas ambientais, ainda existem muitos fazendeiros que queimam os pastos nessa época, para segundo eles vir pasto novo e mais forte. A diferença entre saber e ver é grande, pois ontem pude presenciar, fui de Capão do Cipó a Carovi no final da tarde, e passamos no meio de uma nuvem sufocante de fumaça. Estava numa Kombi com vários estudantes e comentamos sobre o assunto, o que eles me disserem ser rotineiro, e citaram até o caso de um fazendeiro que colocou fogo no campo e depois ligou para brigada denunciando que alguém tinha posto fogo no seu campo, com medo de alguém o denunciar. Vejo de casa diariamente focos de fumaça ao longe, mas ver de perto é por demais revoltante.
************
Ontem conversei com meu ex-colega de faculdade e amigo o Professor Rodolfo no Carovi, me disse que pretende concorrer a vereador pelo PP, fala em projetos como Escola Agrotécnica, incentivos na produção leiteira.
************
Também pretende concorrer a vaga no legislativo o Diretor da Escola Macedo Beltrão, de Carovi, o Professor Aires, este pelo PMDB, vem fazendo excelente trabalho junto a escola e acaba de ser reconhecido nos Melhores do Ano como melhor diretor de escola.
***********
Não gosto muito, nem sei falar bem sobre política, mas posso afirmar que os rumos que estão sendo tomados para sucessão municipal tem me agradado cada dia mais.

DEUS SEGUNDO SPINOZA

“Pára de ficar rezando e batendo o peito! O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida. Eu quero que gozes, ...