quinta-feira, 14 de julho de 2011

As janelas

Enquanto caminhava hoje pela manhã, indo trabalhar, pensava em muitas coisas, sempre penso em várias coisas, enquanto caminho. Olhei as janelas ao longe, as centenas, que meus olhos alcançavam, e pensei que quero ter a minha janela denovo, lembrei da minha janela em Capão do Cipó, do sol nascendo, das colhetadeiras bem próximas a minha casa, lembrei da janela de nossa sala em Santiago, a imagem do pátio cheio de frutas e folhagens, vislumbrei a janela de meu quarto, na adolescência, de onde via os pés de uva-japão balançarem e formarem as figuras mais lindas enquanto eu sonhava acordada, com um futuro, com um  amor, com muitas das coisas que já consegui. Pensava ainda essa manhã, em escrever um livro, sempre penso em escrever alguns livros, mas tenho tantos outros projetos mais urgentes, então visualizei um futuro onde terei um chalé, denovo a janela voltada para as uvas-japão, internet, e estarei na 3ª metade de minha vida, terei a segurança, que caminho hoje para buscar, terei a paz, que já me acompanha, a serenidade de quem viveu todas as vidas possíveis apenas em uma vida, e terei a experiência, para aí sim escrever alguns livros, alguns que falem coisas boas, e certas, que possam ajudar os que estiverem no começo ou no meio da caminhada como hoje estou. Enquanto o tempo passa, caminho. Chego. Vivo. E agradeço. Sou muito  feliz.

2 comentários:

Vanessa Mariani disse...

Oi Elis.... que saudades.... como é bom ler teus textos... que bom que você está bem... um super abraço desta amiga!!!!!
Vanessa Mariani

Vanessa Mariani disse...

Oi ELIS!!!!!
Como é bom ler teus textos... bom saber que você está conhecendo e buscando coisas novas...
Um super abraço desta amiga!!!!!
Vanessa Mariani