quinta-feira, 26 de março de 2009

Imperfeitos e inacabados

Eis que aqui estamos, eu e a Mimi, noite ainda quente de outono. Cidade Capão do Cipó, 500 Km da capital, funcionária pública. Caminho pela rua escura de calçamento irregular, aquele trecho sem iluminação. Slap, slap, slap, passos na outra mão da rua, não consigo ver quem é, ignoro e sigo andando, nesse pequeno trecho mil flashes cruzam minha mente. Empregos anteriores, projetos futuros e um questionamento, por que aqui? Nunca me imaginei morando aqui, deixando minha casa, marido, cachorros e irmã. Bateu uma saudade do sorvetinho de máquina que pegava no calçadão a caminho de casa, ou do pastel assado da Glacial. Consciente do ser inacabado e imperfeito que sou, que erra todos os dias, que acerta outras vezes. Certa de que, nada na vida é por acaso, cumprindo uma missão desconhecida. Apenas ando, um passo de cada vez. Mas dona de uma grande certeza a de que estamos nesta vida para evoluir e aprender. Feliz por todos os amigos verdadeiros que tenho, pela família que me ama e me espera, pelos projetos que busco alcançar, feliz, por apenas ser como sou, estar onde estou.
********
Estou muito filosófica hoje, hehehe, prometo que o próximo texto vai ser bem humorado e descontraído.

2 comentários:

Rúbida Rosa disse...

O destino é consequência de nossas escolhas...
Bom texto.

JÚLIO CÉSAR SCHMITT GARCIA disse...

Cara Elisandra, tive uma grata surpresa ao acessar teu blog. Gostei muitíssimo. Vou voltar seguido aqui. Parabéns!