terça-feira, 12 de agosto de 2008

De repente 30

Alguém aí já assistiu aquele filme americano " De repente trinta": conta a história de uma adolescente que queria ter trinta anos, porque imaginava que esta era a idade do sucesso; com a ajuda de um pó mágico ela acorda com 30 anos, tendo a oportunidade de rever todas as suas escolhas e mudar seu caráter.
Hoje acordei com 30 anos. Embora há um tempinho não me julgo adolescente, na verdade não sei se em alguma época tive oportunidade de me comportar como adolescente, sempre me vi mais preocupada em crescer, em conquistar o mundo. Um amigo perguntou-me ontem: - Não sente saudades dos teus 18? Penso que ele imaginava que eu responderia: -Ah, se pudesse voltar o tempo! Ao contrário. Fechei os olhos e visualizei meus 18 anos: Queria fazer faculdade, não sabia ao certo qual curso e nem como, queria ser funcionária pública, ainda não tinha começado a fazer concursos, queria endireitar o sorriso, ainda não usava aparelho, queria não ter que pagar aluguel. Aos trinta, estou terminando a faculdade, sou funcionária publica, já tirei o aparelho e tenho casa.
Ter trinta é poder dizer: fiz curso de informática no MSDos, fiz datilografia, assiti Xuxa, Balão Mágico, Os Trapalhões, Barrados no Baile, Os Smarfs, brinquei de ioio, bambole, bate-bate. Não me sinto velha, nem mais feia que aos 18, sinto-me melhor, mais segura, não me arrependo de nada, nenhum momento vivido foi em vão.
Ainda tenho muitos projetos: um carro ( só meu), filhos, pós-graduação, mestrado, uma casa maior, um concurso a nível superior, uma faxineira semanal, lavar o cabelo sempre no salão, viajar nas férias. Todos fáceis e possíveis de alcançar, cada um virá ao seu tempo, sem pressa, devagar para ser valorizado.
Não vou esquecer esta data, esta idade, nem o primeiro pote de Renew, que ainda está pela metade. Das emoções que sufoquei, dos risos que não ri, fica a certeza de ter feito o melhor para aquele instante. O futuro ainda enrosca-se ofegante aos meus pés, muitos erros a cometer, muitas escolhas a fazer, mas cada uma delas seguirá meu próprio coração, apenas ele.

Nenhum comentário: