quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Várias vidas, em uma só vida

Ah, se fosse possível nascer de novo lembrando do passado. E, se mais ainda, pudéssemos escolher nossas características e nossa personalidade. Bom, eu nasceria, com a mesma cor de cabelos que seriam lisos, muito lisos; colocaria em minha genética, algum gene, que quando adulta, me permitisse comer muito e todo tipo de alimento sem engordar; deixaria meus olhos azuis, mesma estatura, nasceria outra vez sem cabelos, com a pele clara, quase transparente, seria um bebê gordinho. Choraria mais, e não tomaria por nada, leite com água de arroz, não sei de onde tiraram que faz bem aos bebês, nunca vi mãe que amamenta, andar mastigando arroz o dia todo. Experimentaria na infância, clara de ovo, assim talvez não ficasse toda vida pensando que não suporto seu sabor, se é que uma coisa como clara de ovo pode ter sabor. Comeria muitos picolés, mesmo com dor na garganta e quando chovesse, pisaria descalça em todas as poças d’água, mesmo com dor na garganta, e tomaria banhos de sanga, também quando estivesse com dor na garganta, seria melhor se eu nunca sentisse dor na garganta. Comeria menos cicletes e balas, mais frutas e provaria saladas antes dos 14 anos. Viraria cambalhotas na grama, subiria em mais árvores, me deixaria cair delas e brincaria com os guris de carrinho de rolimã. Aprenderia menos sobre a religião da minha família e rezaria menos orações decoradas, aprenderia a perdoar mais cedo, teria mais cuidado com o que fosse falar, magoaria menos pessoas. Estudaria, até um pouco mais, conservaria as notas altas. Não me apaixonaria antes dos 30 anos, seria menos sentimental. Amaria, de novo, os animais e seria sempre uma defensora. Faria menos experimentos no meu cabelo, jamais deixaria minha mãe cortar nenhuma pontinha, continuaria colocando rodelas de pepinos sobre as pálpebras. Seria calma, confiante e segura desde a infância. Mas se pudéssemos, escolher tudo e lembrar dos erros e acertos, onde estaria o prazer de sonhar e desejar, as conquistas, não teriam o seu sabor, e chegaríamos ao fim de outra vida sem ânimo para recomeçar, pois já saberíamos o que fazer em cada momento. O interessante é que podemos viver várias vidas em uma só, pois a todo instante mudamos nosso futuro. Numa mesma vida, erramos, acertamos, podemos perdoar, ofender, magoar, ajudar, temos a oportunidade de analisarmos nossas próprias atitudes e evoluir. Não podemos nascer de novo acertando erros, mas podemos recomeçar de onde paramos a cada dia. Sem falar nas cores que podemos pintar o cabelo, em lipos, plásticas, dietas, aparelhos dentários, dá pra mudar quase tudo.

Nenhum comentário: