quinta-feira, 19 de julho de 2007

" ...É lá que eu moro, e me sinto bem..."


Esta é Capão do Cipó, costumo dizer que como Brasília foi idealizada e está sendo construída dia-a-dia, talvez seja um pouco de exagero bairrista, mas não há como negar aos que conheceram e vêem hoje o seu progresso. Onde era apenas um campo, lavouras de soja, e um povo cheio de vontade e objetivos, vimos uma praça arborizada, onde já tomamos chimarrão a sombra das árvores, prédios públicos, conservados, pintados. Pode-se construir uma casa, fazer uma festa bem feita, plantar mil hectares de soja, e para isso comprar tudo que precisa na cidade, pode ser que não encontre a marca desejada, o preço desejado, mas aqui de tudo há.
Seu povo é muito bom e receptivo, vem gente nova em avalanche, chegaram os Assentamentos, funcionários públicos, comerciantes que vem aos poucos, a grande maioria veio de fora, de cidades vizinhas ou bem distantes, aqui se conhece pessoas que já moraram em toda parte, sendo bem recebidos e aceitos, logo que a gente chega já consegue comprar na caderneta, sem deixar muita garantia.Passando pela rua principal é notável, as novas ruas abertas e as casas em construção, passando a real idéia de progresso. Muito ainda idealizamos, e muito falta buscar, mas já me vejo daqui a uns 20 anos contando num blog, ou não sei o que terão inventado de comunicação até lá, quem sabe num jornal local, regional, num livro, numa revista ou para meus filhos no colo, ou netos (meu Deus netos): “ Quando vim morar aqui, os fundos da casa eram uma lavoura de soja, e todo tipo de animal do mato, vinha comer suas caças embaixo da minha janela...”. Até lá muito ainda vai ser feito, e muita gente nova vai vir, espero ser ainda essa bairrista e concluir que minhas previsões otimistas estavam certas.

Um comentário:

Nara Andrea disse...

Olá querida!!
Adorei o teu blog e entro sempre que posso!! Gostei muito desta "homenagem" a Capão do Cipó. Que bom que melhorou o teu humor, pois te achei meia down numa postagem anterior. Bjos e até semana que vem no retorno às aulas!
Da tua profe Nara