sexta-feira, 20 de julho de 2007

Os bandidos não são mais como o Benildo



Lembro que quando criança, me assustavam muito com um bandido da época, que se escondia na costa do Rio Piquiri, o famoso Benildo ( acho que era esse o nome), tínhamos um colega de aula que morava por lá e se encarregava de enfeitar as histórias com pistas de seu paradeiro. Algumas tarde eu ia para casa, tremendo porque ele poderia estar em qualquer lugar, afinal diziam, conhecia todas as grutas e matos da região. Enfim cresci, e nunca soube se ele de fato existiu, se foi preso, ou se morreu.
Hoje, vivemos um caos de insegurança generalizado no País, por vezes, nós é que pensamos em achar uma gruta, bem no meio de um mato e se esconder, não só dos bandidos que matam, roubam e violentam pessoas, pelo prazer de ser o mais forte, mas também de toda essa inversão de valores, onde não sabemos mais quem é quem.
Nessa manhã chegando para trabalhar, notei um alvoroço anormal, em frente ao prédio da Prefeitura, nem essa escapou da ira, dos que se debatem achando formas de tirar vantagens, das coisas alheias, alguns carros estavam com os vidros quebrados e os sons foram levados, mas, foram bem exigentes, só levaram os sons com CD e os com CD e MP3, radinho AM/FM, vender para quem depois. Só essa semana, levaram do poder público 4 rádios, mais o prejuízo dos vidros quebrados. Certamente se consideram meio donos, sendo que é coisa pública, não tenho idéia de quem foram, não há como saber, se vão ser presos? O que vocês acham?
Enquanto vivermos num sistema, onde ninguém mais respeita grades, cadeados, conceitos de ética, de legalidade, de propriedade alheia, alguém teria a ilusão de encontrar culpados num caso como esse?

3 comentários:

Froilam de Oliveira disse...

Excelente tua crônica "Os bandidos não são mais como o Benildo". Descrevendo o real, foste literária (até ser jornalística na narração do fato).
Não se pode aprender a escrever senão escrevendo.
Um abraço neste dia consagrado à amizade.

Froilam de Oliveira disse...

Uma crítica negativa: você não escreve.Por favor...!
Abç

erico disse...

Bom texto colega, gostaria que voltasse tempo do Benildo, tempos bons aqueles;