segunda-feira, 16 de julho de 2007

Alguém pode me chamar no MSN?




Hoje eu gostaria de estar mais leve, de não me preocupar com o que eu vou escrever nem com quem vai ler, se alguém vai ler e o que vai pensar; queria que a minha internet estivesse mais rápida, que alguém, qualquer um me chamasse no MSN, para dizer alguma coisa, qualquer coisa, “está frio hoje”, “não foi para casa no final de semana”, e eu responderia “não, tive visitas”, na verdade passei todo meu tempo livre do final de semana envolvida com várias coisas, exceto comigo, dizendo o que esperavam ouvir de mim, ajudando a preparar o que gostam de comer, de beber; é verdade que nesse mesmo final de semana conheci pessoas que moram tão próximas e que não conhecia, com suas histórias encantadoras que me fizeram muito bem, e espero que as tenha feito felizes enquanto estavam comigo, ao menos isso. Queria nesse momento o meu otimismo costumeiro, que sempre distribuo a todos, queria ele para mim, queria olhar as coisas maravilhosas que acontecem na minha vida todos os dias, ver em cada um o seu interior de bondade, desejar que as coisas ruins aconteçam comigo e não com as pessoas que eu amo, porque eu resolvo, e sigo em frente, como sempre fiz, mas excepcionalmente hoje, e somente hoje, minha vontade é de ser abraçada, e me deixar ficar, chorando. Não admito estar assim, essa não sou eu, queria mesmo era estar com vontade de dançar sozinha, de fazer um texto bem elaborado (tenho tantas críticas), de definir um desenho para tatuagem que há muitos anos planejo fazer, rir com vontade, passar cremes, muitos cremes, acreditar que eles farão efeito. Tomar alguma das decisões, que eu sei que preciso, e que adio, mas para hoje não há mais jeito, vou me deixar ficar, seguir lendo meu livro, chorar mais um pouco, de feliz, de triste, de TPM, não sei, apenas quero chorar. E amanhã, levantar bem cedo, lavar meu cabelo, passar muito creme, esperar 10 minutos como se não estivesse com frio, por uma bota de saltos, velha, mais nova, meio fora de moda, ainda não sei, mas vai ser um salto, passar protetor solar, maquilhagem até me sentir bem, e sair para trabalhar, bem humorada, sorridente; resolver todas as questões, que mais esse dia possa me trazer, da melhor forma. E se por ventura, alguém perguntar sobre esse texto direi com um sincero sorriso “é apenas um texto”.

Um comentário:

Froilam disse...

Fiquei surpreso ao conhecer teu blogue há alguns minutos. Gostei muito de teus textos, especialmente os dois últimos: Alguém me chama pelo MSN? e A evolução humana. Supreso e sensibilizado com adição do meu blogue em tua página.
Farei o mesmo, podes ter certeza.
Abç