sábado, 19 de março de 2011

Meus dias, coisas minhas

Já estou adaptada, bom, quase adaptada com a cidade. Mas me sinto mais a vontade cada dia, tão quanto na época de minha mudança para Capão do Cipó, adoro essa quebra de rotina, esse aparato de coisas novas, isso me faz bem. Ando a pé, como já contei aqui, estou morando há uns 25 mim do curso. Na quinta, mais uma vez choveu, molhei um pouco os pés, ainda não tenho guarda-chuva, mas o clima foi gentil comigo, durante meu trajeto, pouco gotejou. Entretanto, há lugares nas maravilhosas ruas asfaltas, que nossos prefeitos aí do interior tanto sonham, que viram simplesmente em lagoas, e os carros e ônibus, aceleram gentilmente ao passar pelas poças, tem um certo trecho que salta água em todo o muro da calçada, todo, água, não pinguinhos. E lá estava eu, me aproximando da lagoa, e pensando, como passar por ela, quando cheguei bem perto, olhei para trás, aguardei certa distância do último veículo, e corri, saltei pela única lajotinha da calçada que se salvava, felizmente, não passou nada, no meio da poça, passei por outra senhora, também correndo, nos olhamos, e  rimos, simplesmente rimos, a salvo, pois se passasse um gentil motorista, não sei o que seria de nossas roupas. Assim fui rindo, até a escola, mais um dia, o bom é que as piores coisas acontecem nos primeiros dias. Tudo se ajeita.

Nenhum comentário: