quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Assunto : Médicos

A RBS denunciou hoje, no Jornal do Almoço, que  médicos do hemocentro de Passo Fundo são acusados de bater o ponto e não cumprir os horários de trabalho. Já não é sem tempo alguém tocar num ponto tão delicado chamado "médicos". A nossa verdade regional é que muitos médicos de postos de saúde, que são funcionários públicos concursados ou contratados sequer assinam ponto, muito menos cumprem as 40 horas pelas quais recebem. Ainda há médicos ótimos, com vocação para a profissão, dando tudo de si, não estou colocando todos no mesmo saco. Mas quem conhece o nosso Sistema Único de Saúde, sabe que é exatamente assim, eles chegam lá pelas 9 da manhã, atendem um número x de fichas, ou 10 ou 15 e vão embora, a tarde é a mesma coisa, chegam tarde, atendem quem está aí e vão embora. No geral eles tem outros compromissos em seus consultórios particulares, mas ganham salário, aceitaram, sem discutir se é salário justo para função ou não, aceitaram suas 40 horas. Não as cumprem, ninguém se atreve a mandá-los cumprir. E quem perde é claro que é o povo.
Outro ponto discutível é o atendimento pelos planos de saúde. Alguns médicos não atendem a primeira consulta pelo plano, a primeira vez tem que ser particular, outros a gente liga para marcar e dão uma data de 60 a 90 dias, ou espera ou paga a "diferença", geralmente o valor de meia consulta. Eu cai, machuquei a mão, liguei para o traumato, consulta para 19 de dezembro, pelo IPE, eu argumentei: Mas acho que quebrei alguns dedos, a secretária  disse: Pode pagar meia consulta, aí posso marcar para hoje, senão tu pode ir no pronto-socorro se for urgente.
Noutro consultório esses dias com minha irmã, chegou uma moça, para consultar pelo IPE, a diferença era de R$ 7,00, ela alcançou uma nota de 50, a secretaria do médico, não pegou e disse: Pode sair trocar dá tempo, aqui não tenho troco. Lá saiu a moça com uma visível falta de ar. A secretária ainda resmungou, sabem que é barata a diferença, se tem cabimento vir com nota grande. Detalhe: o consultório tem duas secretárias, ela não estava sozinha. 
Há clínicas muito boas, há recepcionistas adoráveis, claro que elas precisam de muita paciência, os pacientes são geralmente impacientes, mas falta muito ainda nessa área. Os médicos são profissionais, assim como os advogados, os professores, os dentistas, os motoristas, os lavadores de carros, os agricultores, cada um cumprindo sua função na sociedade, todos com direitos e obrigações.

Um comentário:

Iolanda Pavanelo disse...

Parabéns pela coragem de abordar esse assunto em seu blog.
Tudo o que você escreveu é a mais pura verdade, mas ninguém, ninguém mesmo tem CORAGEM para colocar ordem e exigir que cumpram seus horários, pelos quais são remunerados.
Já quanto ao atendimento nas clínicas, isso é muito triste e rotineiro, as pessoas que deveriam ter toda a cautela e presteza, afinal, quem vai ao médico é porque já está com problemas de saúde, um dos piores problemas e que deixa qualquer um sensível e frágil, são as que dão a cacetada final no cidadão!