segunda-feira, 1 de março de 2010

Meu país que se chama Brasil: I

Começo hoje uma série de postagens sobre as eleições 2010, já deixo bem claro que sob meu ponto de vista leigo, com informações que chegam até mim através de internet, revistas e jornais.
(I) A edição de 24 de fevereiro da Revista "Isto é", apresenta uma reportagem com o advogado Mário de Oliveira Filho, onde a revista (penso que intencionalmente) coloca como chamada a seguinte frase, com sua foto: "Ele é a favor da pena de morte e da prisão perpétua, promete rever o Bolsa Família, é contra a universidade pública gratuita e quer seu voto para ser o próximo presidente do Brasil", com o título " Direita, volver". Para quem não se deter ao conteúdo da matéria, já causa uma má impressão, de autoritarismo e atitudes extremadas. A íntegra traz de fato algumas revelações no mínimo polêmicas, ainda mais nesses tempos de tudo tão politicamente correto, como por exemplo quando se refere ao MST que em seu governo seria tratado como quadrilha, por ser composto por bandidos. Segundo a revista ele encontraria seus simpatizantes num grande eleitorado que está a procura de um novo estado e sente-se fora do cobertor que foi estendido aos mais pobres. Pretende ser presidente da República pelo Partido Trabalhista do Brasil PTdoB, acredita que ainda vão crescer e que arrecadarão R$ 40 milhões, valor para ele suficiente para vencer as eleições. Porém, terá miseros 02 minutos na televisão. Ouviremos ainda falar deste e não duvidem, terá sua bocada no grupo dos seguidores de um novo lider.

Nenhum comentário: