segunda-feira, 31 de março de 2008

Onde estaremos amanhã?

A vida passa enquanto teclamos, assistimos o noticiário, rimos e choramos. Não sabemos até onde nos levará, caminhos nunca imaginados estão sob nossos pés, outros muito almejados também estão. A única certeza é de não parar, impressindível andar, sempre avante, nunca para trás, queimar as pontes para não desitir. Buscamos nossos objetivos, sem entender o presente, a que viemos? Ninguém quer passar e ser esquecido, nem passar e ser lembrado negativamente, queremos fazer diferenças, ser individualizados. Vivemos fases, momentos, situações. Tudo passa, importa ter-se o controle, saber o que queremos, estar consciente de cada ato, saber quem somos. Imperfeitos, aceitando os demais imperfeitos.

Eu...sei que estou numa passagem, que é a vida, hoje aqui, procuro tirar o melhor proveito, aprendo, curto sensações; levarei na lembrança, as cores, os cheiros, os abraços. Agora, sinto cheiro de safra, mistura de cheiro de pó com cheiro de feijão de molho, é o cheiro da palha colhida e dos grãos que ficam fermentando nas lavouras e nas ruas. Posso sentir esses mesmos cheiros, por mais um dia, um ano, décadas; não sei, mesmo que nunca mais o sentisse, fecharia os olhos em qualquer momento e o lembraria, como lembro do gosto de k-Suco aqueles que manchavam os dedos e a boca. Não nos é permitido responder essas questões, apenas ganhamos pernas, e livre arbítrio para guiá-las, dessa forma nos resta seguir nossa intuição, o que chamo em ímpetos de romantismo "de seguir o coração", agir segundo nossa força interior, Deus.

Nenhum comentário: