sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Somos mutantes


Às vezes, me sinto sol, capaz de aquecer e de queimar, noutras penso que sou terra, a transformar semente em frutos (ou de ser pisada), algumas ocasiões até me sinto água, capaz de lavar toda injustiça do mundo.

Penso intimamente em ingressar num movimento hippe ( escrevi certo?), largar tudo por causa nenhuma, ou juntar-me ao greenpeace e defender o boto rosa da Amazônia.

Num dia quero dizer todas as verdades, a todos, noutro quero apenas ser amada, e sorrir com os amigos. Num instante almejo o aconchego da minha casa e do meu quarto, noutro quero festa e música alta. Mas fora os impetos de excessos, continuo com meu trabalho fixo, casa, família e fazendo tudo sempre tão normal.

Nenhum comentário: