quinta-feira, 10 de novembro de 2011

A dependência da modernidade

Somos dependente de tudo que criamos, e tudo o quanto idolatramos.
Pela manhã, dependentes de água quente para o banho, de desodorante para pés, para axilas, de hidratante para corpo, outro para  rosto. Precisamos do protetor solar, para sair à rua, do elevador para descer do prédio. Dos óculos de sol, do ônibus ou do carro, para chegar ao trabalho. Do computador e do telefone para trabalhar. Reclamamos, mas dependemos da comida pronta do restaurante, do mais próximo.
O ser humano se condiciona e se escraviza, a todas as coisas que ele mesmo cria. Cada vez, fazemos menos esforço, por consequência somos mais fracos, e aí dependemos da academia para não atrofiar os músculos. Não lavamos mais roupas no tanque, passamos aspirador para não varrer o chão, mandamos alisar o cabelo, para não precisar escovar tanto pela manhã. Aquecemos a água do chimarrão no microondas, mais fácil que acender o fogão. Falamos com os amigos pelo msn,  deitados na cama, de pijama. Desligamos a tv pelo controle, mudamos a temperatura do condicionador de ar pelo controle, colocamos o celular nos fones de ouvido, para não precisar  segurar. Tomamos suco de caixa, se fizermos alguma refeição em casa, compramos pré-prontos,  colocamos a louça na lavadoura. Somos felizes e dependentes de tudo o quanto sonhamos existir. O mundo das facilidades, a lei do menor esforço. Tudo ao alcance de um toque de mãos.

Um comentário:

Art Cósmica disse...

Por isso é bom, as vezes, nos sintonizarmos com a ausência destas ferramentas, um retiro é uma boa escolha.


Te convido a conhecer e seguir meus blogs
http://artcosmica.blogspot.com (blog onde registro toda a forma de arte que encontro em minhas viagens, arte de amar, servir e transformar)
http://nomadevarno.blogspot.com/ (blog onde compartilho as terapias holísticas que ensino)

Será um prazer sua companhia nesta jornada.
Gratidão.
Abraços de luz
Varno Nômade