quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Quero uma música tranquilizante, mas bem alta em meus ouvidos. Apenas para sufocar minha insatisfação. Desconforto sem motivo, dor sem doença, omissão sem fato ou de muitos fatos. Desconformismo. Sou do grupo dos pensantes, diferente do grupos dos oportunistas, dos noveleiros, dos incrédulos. Pertenço ao grupo dos que insitentemente pensam. Se pensam, julgam e se julgam. Exigem e se exigem. Analisam, refletem e distinguem. Tem posição fixa e direta. Por isso sofrem, sem motivo certo, mas por todos esses motivos. Meus passos diários conduzem ao meu ser. Não tenho controle sobre todos eles. Embora minha mente deseje e batalhe, as forças da vida me fixam noutras direções. O que posso fazer, se temos controle de apenas um quarto de nossa passagem nessa existência. Queria apenas entender o que esses caminhos me reservam de bom, qual minha contribuição aos que me rodeiam. Por que aqui? Santiago, Capão do Cipó? Fases boas, fases ruins, por que esse mundo todo pesa em meus ombros? Busco entender, me entender. Sou diferente do normal do comum, sou assim. Andando um passo de cada vez, sem saber onde vou chegar, mas certa de onde quero estar.

Nenhum comentário: