sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Manuel Bandeira

Estou procurando material para meu trabalho de conclusão do curso de Letras, encontrei esse poema do admirável Manoel Bandeira, não poderia deixar de publicá-lo:
Vou-me Embora pra Pasárgada
Manuel Bandeira
Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do rei
Lá tenho a mulher que eu quero
Na cama que escolherei

Vou-me embora pra Pasárgada
Vou-me embora pra Pasárgada
Aqui eu não sou feliz
Lá a existência é uma aventura
De tal modo inconseqüente
Que Joana a Louca de Espanha
Rainha e falsa demente
Vem a ser contraparente
Da nora que nunca tive

E como farei ginástica
Andarei de bicicleta
Montarei em burro brabo
Subirei no pau-de-sebo
Tomarei banhos de mar!
E quando estiver cansado
Deito na beira do rio
Mando chamar a mãe-d'água
Pra me contar as histórias
Que no tempo de eu menino
Rosa vinha me contar
Vou-me embora pra Pasárgada

Em Pasárgada tem tudo
É outra civilização
Tem um processo seguro
De impedir a concepção
Tem telefone automático
Tem alcalóide à vontade
Tem prostitutas bonitas
Para a gente namorar

E quando eu estiver mais triste
Mas triste de não ter jeito
Quando de noite me der
Vontade de me matar
— Lá sou amigo do rei —
Terei a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada.
Texto extraído do livro "Bandeira a Vida Inteira", Editora Alumbramento – Rio de Janeiro, 1986, pág. 90

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Não tá morto quem peleia

Não desanime!
Lute!
A vida nos apresenta obstáculos: ultrapasse-os
Nos apresenta dores: chore
A vida nos traz armadilhas: desamarre-as
A vida nos joga pedras: construa o seu castelo
Ela tem espinhos: colha apenas as rosas
A vida enfim nos dá oportunidades: aperfeiçõe-se
Se ela for injusta: aprenda
E venha o que vier não deixe de ser o que é.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Inversão de valores

Vivemos numa era violenta, todo lugar poderá ser cenário de um crime. Um inofensivo passeio na praça ao final do dia, uma saída para uma festa no final de semana, até um ato patético de atravessar uma rua é cada vez mais arriscado. As pessoas estão mais agressivas, mais vingativas. Os pais super-protegem as crias, lhes dando sempre razão, estas crescem pensando que são obrigadas a levar vantagem sempre. As pessoas não aceitam mais perder mesmo uma pelada de areia. Os que ganham não tem postura para apreciar a vitória. Os humanos cada vez mais se dividem em grupos, por afinidades, se protegem e procuram eliminar os outros grupos. Muitos pensam que a sua felicidade está na destruição de quem é melhor. Foi trocado pela namorada vai lá e mata o rival. Cada um pensa em si e não se envergonha, nem disfarça o egoísmo.

Esquecem que ao nascer, ganhamos um espaço e uma missão. Ao longo dos tempos, vamos cumprir essa missão, enquanto semeamos nosso caminho, ele poderá ser de discórdias e vinganças ou de paz e bondade. Somos nós que plantamos.

Precisamos resgatar os valores básicos antes que nossa sociedade se perca: A VERDADE, A RETIDÃO, A PAZ, O AMOR, O PERDÃO, A NÃO-VIOLÊNCIA .

********

Lembre:


"As estrelas não deixam de existir quando o dia amanhece."

Se você gostaria de ser como alguém, não gaste sua preciosa vida tentando destruí-lo, apenas copie as atitudes positivas que o fizeram o que é.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Depois de coisas ruins vem as boas

O presidente americano Barack Obama também pensa assim, em seu discurso de posse usou a frase " Vai piorar antes de melhorar". Costumo ter esse pensamento quando enfrento situações difíceis, repito para mim a parábola do funil "nossa vida é como um funil, para chegarmos onde queremos precisamos passar pelo gargalo". Quando ensinava os colegas a costurar, nos tempos do atelier ou quando dei aulas no EJA, sempre os lembrei que depois daquela fase onde achamos que não vamos conseguir, que não vai dar, pois é muito difícil, vem o prêmio, o aprendizado e a recompensa pelo esforço empenhado de forma certa. Coisas boas sempre vem!!! Coisas boas virão com certeza!!!

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Lenda do rito de passagem da juventude dos índios Cherokees

O pai leva o filho para a floresta durante o final da tarde, venda-lhe os olhos e deixa-o sozinho.
O filho se senta sozinho no topo de uma montanha toda a noite e não pode remover a venda até os raios do sol brilharem no dia seguinte.
Ele não pode gritar por socorro para ninguém.Se ele passar a noite toda lá, será considerado um homem.
Ele não pode contar a experiência aos outros meninos porque cada um deve tornar-se homem do seu próprio modo, enfrentando o medo do desconhecido.
O menino está naturalmente amedrontado.Ele pode ouvir toda espécie de barulho.Os animais selvagens podem, naturalmente, estar ao redor dele.
Talvez alguns humanos possam feri-lo.Os insetos e cobras podem vir picá-lo.Ele pode estar com frio, fome e sede.
O vento sopra a grama e a terra sacode os tocos, mas ele se senta estoicamente, nunca removendo a venda.
Segundo os Cherokees, este é o único modo dele se tornar um homem.Finalmente...Após a noite horrível, o sol aparece e a venda é removida.Ele então descobre seu pai sentado na montanha perto dele.
Ele estava a noite inteira protegendo seu filho do perigo.Nós também nunca estamos sozinhos!Mesmo quando não percebemos Deus está olhando para nós, 'sentado ao nosso lado'.Quando os problemas vêm, tudo que temos a fazer é confiar que ELE está nos protegendo.
*******
Achei interessante e me fez lembrar que Deus está comigo e sempre guia meus atos.

Conselheiros tutelares

Em torno da discussão das eleições para conselheiros tutelares em Santiago, minha opinião é de que as eleições deveriam ser livres a todos os portadores de título eleitoral naquele domicílio, não obrigatória, nem teria como, mas livre a todos os que queiram votar e não somente aos representantes de entidades. A mim parece tão mais lógico e coerente, embora nunca tenha parado para analisar porquê elas não são dessa forma.
********


Em Capão do Cipó a eleição que deveria ter saído no final do ano passado foi adiada para esse ano, deve acontecer em breve.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

A gringa e as uvas


Conta a lenda da gringolândia que em meados de 1900, chegou ao Brasil, direto da "nostra" Itália, com sua família, uma gringa de olhos azuis, cabelos cacheados da cor de favos de mel. Uma viagem de 3 meses, a bordo de um navio, sem nenhum luxo e conforto. De bagagem, traziam uma "tuia" de tábuas, com tudo que haviam juntado na vida. Mas esta tripulante em especial, trazia nas mãos um vaso com uma pequena muda de videira, não descuidou do precioso objeto em nenhum momento. Regou, conversou, afofou a terra do pequenino vaso. Ao descer no porto, ainda carregava a planta, e assim fez durante toda viagem de trem e carroça que a trouxe até a Linha Três, no RS. Ali construiram sua casinha de pau-a-pique, a videira foi cuidadosamente plantada em frente à porta, deu sombra e frutos para os filhos que logo vieram. Dessa mudinha, nossa família construiu uma tradição, de plantar a uva e fazer o vinho, assim como nossos ancestrais.

domingo, 11 de janeiro de 2009

Mudanças

A partir de amanhã estarei trabalhando na Secretaria de Saúde, desde que fui nomeada em julho de 2006, sempre fui lotada na Secretaria de Fazenda, exceto por um mês que fui assessora de gabinete. Nos últimos dois anos estive como Coordenadora de Compras e Licitações. Uma nova fase inicia e como eu mesma costumo sempre dizer " queime a ponte".

Cheiro de uvas e paz de espírito

Amanheci sentindo o cheiro de uvas maduras e de polenta assada na chapa, que o Denilson preparava para o café. Ontem a noite choveu muito e esta manhã tudo estava mais verde, mais doce e mais alegre. Estava na casa de meus pais e gostaria de congelar esta manhã de sol, o cheiro quase enjoado de frutas maduras, de comida feita no fogão à lenha. Uma inesplicável sensação de que algumas coisas permanecem ao tempo, as tempestades, aos nossos progressos e insucessos pessoais. Gostaria que aquele lugar ficasse preservado para sempre, que meus pais nunca adoecessem, que as uvas não tivessem de ser colhidas, nem o orvalho dessa manhã pós-chuva secasse com o sol. Se fosse possível abrir os olhos depois de cada noite e ver as mesmas cenas, o leite recém tirado, as frutas ao alcance das mãos, até pela janela da casa, sem precisar pegar o carro, garrimpar um supermercado aberto no domingo e com sorte encontrar algumas das coisas que procuro. Queria ter tudo isso ao alcance dos meus sentidos, mas não posso abrir mão dos sonhos que busco, nem das missões que a vida me deu. Tudo o que preciso está lá e dentro de mim todas as manhãs de meus dias.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Segunda-feira um recomeço e um início

Uma segunda-feira de sol deslumbrante e clima agradável, brindou Capão do Cipó no dia de hoje. Inicia o ano de fato, prefeito, secretariado e cargos em comissão iniciaram hoje 04 anos de administração, para nós concursados, um recomeço. Novos colegas, novos servidores, fase de adaptação e algumas mudanças certamente, pois ninguém pensa igual. O expediente foi tranquilo, amigável. Muitos já foram meus colegas, uns de aula, outros aqui da prefeitura mesmo. Me senti bem.
********
O novo presidente da câmara de vereadores é o vereador Antonio Jardim do PP.
********
Hoje começo a fazer academia ( e daí quem tá interessado), alias já estou atrasada.

Inicio de ano e descanso


Iniciamos o ano em Nova Esperança do Sul, com acampamento no Piquiri. Amanhã inciciamos oficialmente o ano de 2009, voltando ao trabalho e as rotinas.

DEUS SEGUNDO SPINOZA

“Pára de ficar rezando e batendo o peito! O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida. Eu quero que gozes, ...