quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Como quebrar o círculo do ódio


Um famoso senhor, com poder de decisão, gritou com o seu diretor porque estava com ódio naquele momento.
O diretor, chegando em casa, gritou com a sua esposa porque estava gastando demais.
A esposa, por sua vez, gritou com empregada que quebrou um prato.
A empregada deu um pontapé no cachorrinho no qual ela tropeçara.
O cachorrinho saiu a correr e mordeu uma senhora que ia passando pela rua porque estava a atrapalhando a sua saída pelo portão.
A senhora foi à farmácia para tomar uma vacina e fazer um curativo, e gritou com o farmacêutico porque a vacina doeu no aplicar.
O farmacêutico, ao chegar em casa, gritou com a sua mãe porque o jantar não estava do seu agrado.
A mãe, uma pessoa idosa, passando a mão pelos cabelos do filho e beijando-lhe a testa, disse:
"Trabalhastes muito, e a esta hora já estás cansado; amanhã vais sentir-te melhor" .
Beijou-o e foi deitar-se.
Naquele momento o círculo do ódio rompeu-se, porque encontrou a tolerância, o perdão, a paz e o amor.
Se te encontras num círculo do ódio, lembra-te que com a tolerância, o perdão, a paz e o amor, é que o podemos quebrar!
Pensa nisso sempre que estiveres triste e descontente com alguém.
O mundo pode ser melhor...


Só por hoje vamos fazer a nossa parte!


Fonte: internet.


**********

Pensei em postar um texto sobre políticas e politicagens, sobre indignações ao sistema, ou a incompreensível raça humana, mas preferi, quebrar o círculo do ódio e continuar o dia feliz, acima de acontecimentos e atos pequenos.

terça-feira, 28 de agosto de 2007

Uma vez Felice sempre Felice


Tenho muito orgulho de ter feito parte da família Felice, e apesar de não estar mais com eles, ainda me sinto integrante daquela equipe sensacional, as coisas que aprendi, profissionalmente e em convivência, são legados que me acompanham onde vou, as amizades que fiz, nunca serão esquecidas. Sempre que os encontro é como se ainda fossemos colegas, e nada mudou, o mesmo carinho, os mesmos abraços. Mais orgulho deve sentir, o seu diretor Elton Doeler, pela simpatia e entrosamento da equipe que coordena, neste sábado, em parceria com os organizadores dos Melhores do Ano, a família Felice esteve a postos, desde às 18:00 até o último premiado sair da festa. As minhas amadas, “felicetes”, uniformizadas impecáveis, maquiagem e cabelos perfeitos, sorriso e simpatia radiantes e o profissionalismo de sempre, notava-se que apesar de ser um sábado à noite, muito frio e garoa, não havia em um rosto sequer sinal de má vontade, de estar obrigado, ao contrário, estavam orgulhosos de estarem lá, com aquele uniforme, recepcionando os premiados. Os rapazes e a Etelman, se encarregaram do leva e traz, a Aline telefonista e a Rose nossa secretária do cafezinho, recepcionaram os convidados entregando uma rosa a todas as mulheres, com a mesma fineza e elegância com que atende ao telefone e que nos serve um café, maravilhosas, as outras meninas ficaram coordenando pelos telefones os horários para buscar os convidados (acho que foi mais ou menos assim), fato é que como era de se esperar, tudo foi perfeito. Parabéns, e como diria o Franco: 10 pra vocês!!!

Os Melhores do Ano 11ª Edição


Sábado dia 25 de agosto, no Clube União, em Santiago, foi a 11ª Festa de Entrega de Prêmios dos Melhores do Ano 2007, promovido pelo Jornal Expresso Ilustrado e organizada pela Agência Oficial. Uma festa muito bonita, que contou com uma parceria da Felice Automóveis, tornando mais cômoda a locomoção dos premiados, pois puderam contar com motorista e veículo a disposição para ir e voltar da festa. O show foi com o cantor Gilliard, apesar de não ser exatamente o estilo musical que mais aprecio, ele foi ótimo, cantou vários sucessos românticos, desceu do palco e interagiu com o público.
A festa não foi do Jornal, nem da Agência, ela foi organizada e planejada, em cada detalhe para os premiados, as verdadeiras estrelas, tratados como tal, em todos os momentos da festa. Aproveito para lembrar, que todos os presentes são realmente vencedores, e reconhecidos no que fazem, por fazerem bem feito. Além dos presentes, muitos outros foram escolhidos pela opinião pública, e por motivos individuais, não participaram da festa, nem por isso deixam de ser vencedores, posso citar os amigos em Capão do Cipó: Joana Salão de Beleza, Pinheiro Funcionário Público, Érico Vereador mais Popular, Marta Técnica em Enfermagem, LM Materiais de Construção, a Angela bancária simpatia e outros vários, vocês ganharam o grande prêmio que é o reconhecimento, espero que ano que vem comemorem conosco e desfrutem da sua noite de estrela.

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Câmara de Vereadores de Capão do Cipó aprova projeto de doação de terrenos

Foi aprovado hoje, na Cãmara de Vereadores, projeto que beneficia famílias de baixa renda, inscritas no Programa de Crédito Solidário da Caixa, com a doação do terreno para construção das habitacões. Participam do Programa as famílias que estão dentro dos critérios estabelecidos: "Famílias organizadas de forma associativa, com renda bruta mensal de até R$ 1.050,00 (hum mil e cinqüenta reais), também, admite-se participação de famílias com renda bruta mensal superior a R$ 1.050,01 (hum mil e cinqüenta e um reais) até R$ 1.750,00 (hum mil setecentos e cinqüenta reais), limitadas a:- 35% (trinta e cinco por cento) da composição do grupo associativo". A Prefeitura Municipal adquiriu lote, o qual através de projeto, que foi aprovado na sessão de hoje, determina sua doação, às famílias integrantes do Programa que não possuiam terrenos. Em 14 de junho o Sindicato dos Municipários de Capão do Cipó, mudou seu estatuto, com intuito de organizar as famílias interessadas no programa, vindo a ser, a entidade organizadora. A maioria dos beneficiados são funcionários públicos, do quadro efetivo da Prefeitura Municipal.

60% dos Brasileiros Nunca Foram ao Cinema: Nem eu!

Hoje quando recebi a revista Aplauso, me chamou atenção a capa, “60% dos brasileiros nunca foram ao cinema”, eu até li em voz alta: - Escutem essa “ 60% dos brasileiros nunca foram ao cinema!”. Dois segundos de pausa e eu disse: - Eu nunca fui ao cinema... As duas colegas ao meu lado em coro: - Nem eu!!! Risos...
Parece piada, não é, é muito sério, uma vez eu até comentei isso com o Márcio, que adora falar sobre cinema, filmes, lançamentos, nunca pensei porque ir ou não ao cinema, já tive oportunidade, claro que não todos os dias, nosso cinema mais próximo deve estar a mais de 250 KM, mas de fato, engordo esse percentual de brasileiros, que desconhecem uma grande tela.
Continuei lendo: - “70% nunca visitaram um museu ou teatro”. Bom nessa não me pegaram...eu conheço o museu de Santiago, (o de Santiago, mas conheço) hehe, já teatro...
-“3% do salário é gasto com cultura, quase a metade disso é gasto com televisão”, acho que nunca comprei um DVD, mas tenho alguns em casa, e locamos vários todo final de semana.
- “0,05% do total de recebimentos é o que dedicamos a compra de livros”, bom se calculei certo, do meu salário daria R$ 6,60 por ano, eu compro mais de um livro por ano, um só já daria mais que isso, dessa escapei.
Na página 31, a revista apresenta “A tragédia em números”, a cada R$ 380,00 gastamos R$ 1,60 em material de leitura, a maior parte material escolar e didático, sendo que se coloca a dificuldade de acesso aos bens culturais como principal problema, para estas estatísticas.
Devem estar pensando, em que caverna ela mora? Preciso me defender, eu gosto muito de filmes, acompanho sempre (quando sai nas locadoras, risos, e antes pelos jornais e revistas que divulgam), leio várias revistas, os jornais locais sempre, os de maior circulação pela internet, não uso o computador só para acessar Orkut ( apesar de que adoro orkut), escuto muito as pessoas, assim além de conhecê-las, aprendo com todas, estou sempre lendo um livro, apesar de não comprá-los com tanta freqüência ( mas eu devolvo), enfim, considerei a matéria alarmante demais, cinema é cultura, para um grupo de pessoas, para outras cultura, pode ser uma festa de Igreja, uma marcação, para alguns cultura é visitar um museu, para outras pode ser sentar-se e ouvir um velho descendente de índios contar, como faziam seus chás, seus utensílios. Eu, ainda quero viajar muito, conhecer teatros, museus, e finalmente o cinema, mas quero também ir a festas de igrejas e ouvir velhos índios, nesse meio tempo quero continuar exatamente assim, como sou, e fazendo tudo que faço, independente de que lado das estatísticas eu ficar.

********
No último final de semana, estive na formatura dos Cursos de Letras e Matemática da URI, se formaram as amigas Angela Della Flora e Elisana Cassal, o Saulo e o Cristian que foram meus colegas de Grupo Nicola. Uma cerimônia muito linda, o baile excelente, fiquei muito feliz de estar com eles num dia tão importante. Exceto pelo discurso da professora Sandra, onde ressaltou muito mais a URI, o todo tempo URI, que os próprios formandos, as estrelas da festa, não faltou também a sua alfinetadinha nos EADs quando disse " Vocês estão se formando na URI, não em cursos rápidos por aí", como venho dizendo, sem preocupações, o mercado vai escolher. Além do mais, até quando a URI não terá EAD? E os cursos de férias? Eu os vejo como rápidos.
Não ouvi ninguém falar mal dos cursos presenciais nem da URI, na formatura das primeiras turmas da UNOPAR dia 17 sexta-feira, que por sinal estava muito bonita e muito bem organizada.
*******
A propósito, alguém pode por favor, me ensinar a colocar marcador de acessos no meu blog, ou será que não aparece porque ninguém acessa?
*******
Acabo de ver na televisão que uma a cada quatro famílias, recebe o benefício do Bolsa Família, isso sim é preocupante e plenamente discutível.

terça-feira, 21 de agosto de 2007

Quanto vale o poder?


Podemos chamar de poder a capacidade de agir e de produzir efeitos, vendo por esta lógica, todos temos algum poder, sua amplitude vai depender da relação a quê, vamos classificá-lo.
Visto como um estado de dominação, ele exerce uma necessidade de agregar vontades sob seu próprio desejo, quanto mais seguidores maior o será, pouco importa se o seguem por admiração ou imposição, basta que estejam resignados as vontades do maioral. No paradoxo da democracia, diz-se que no estado democrático o poder é do povo, em parte, pois é este quem vota, delegando assim o poder de tomar decisões em nome da coletividade, o fato é, em quem vota e por quê. O pequeno grupo de eleitos, só o foi, porque já detinha algum poder anteriormente, seja de influenciar, de se expressar, de persuadir, de liderar ou de comprar, permutar algo para conseguir mais, delegando depois alguma parcela deste. O que é passível de uma reflexão bem maior, são as atitudes tomadas em prol de sua busca, há os que não medem conseqüências, somam atos descabidos, e se iludem ao pensar, que só poderão alcançá-lo, derrubando os que estiverem acima e pisando em quantos for preciso. Nem todo poder vale a pena, a ilusão do poder conquistado a todo custo, tem vida curta, e queda certa. O verdadeiro e prazeroso estado de poder, é perceber que este veio em confiança a sua verdadeira personalidade, responsabilidade e espírito de bem comum, deve ser respeitado e usado com prudência. Todo poder tem seu preço, e precisamos saber até onde estamos dispostos a ir, atrás do nosso, mesmo que ele se limite a apenas abrir ou não uma vidraça, para soltar uma borboleta que não encontra o caminho.

sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Capão do Cipó agora tem feira do produtor rural


Capão do Cipó agora conta com feira de produtos caseiros, o projeto iniciou no Ginásio de Esportes da Escola Júlio Biasi, conta com 8 famílias, que expoem semanalmente, às sextas-feiras, os mais variados produtos, como leite, doces, ovos, cucas, frutas e verduras. Pretende-se estender até o máximo de 12 famílias, o que se acredita ser o ideal, para que todos tenham comercialização e atinjam a sustentabilidade. Os feirantes contam com o apoio da Prefeitura e da Emater, e a comunidade é premiada com produtos de qualidade por um custo baixo.


********************
Em breve o Município contará também com um CRAS Centro de Referência da Assistência Social, com oferta de serviços continuados de proteção social básica para as famílias em situação de vulnerabilidade social.
Os CRAS devem funcionar como proteção social pró-ativa, acolhidas para recepção, escuta e orientações, com ênfase na convivência familiar e comunitária.

terça-feira, 14 de agosto de 2007

Ensino a Distância

A percentagem da população brasileira com idade de entre 18 a 24 anos matriculada no ensino superior é de apenas 11% (2,65 milhões de jovens), segundo dados da Associação Nacional de Dirigentes de Instituições Federais de Ensino Superior – Andifes/2001), índice extremamente desfavorável, se comparado, por exemplo, aos 39% da Argentina e 62% do Canadá. Na América Latina, só o Haiti apresenta taxas mais baixas.
É necessário admitir que a universidade brasileira, na modalidade de ensino convencional (presencial), mesmo havendo aumento de recursos, a curto prazo, não teria condições de aumentar as vagas de forma maciça, nem formar professores na quantidade e com a qualidade exigidas pelo mercado de trabalho. A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional determinou, no artigo 80, que o Poder Público incentive cursos e programas a distância e de educação continuada, deu o sinal político-institucional e legal para a implementação da educação a distância no nosso país. Os Decretos n. 2.494/98 e n. 2.561/98, abriram espaço para os primeiros pedidos de credenciamento de instituições e de autorização de cursos superiores a distância.
Estamos numa fase de consolidação da EAD no Brasil, principalmente no ensino superior. Quinhentas e quatro mil pessoas no país usaram o ensino a distância em 2005, somente em faculdades autorizadas pelo Ministério de Educação. Na graduação e na pós-graduação, dobrou o número de estudantes matriculados nessa modalidade entre 2003 e 2004. Em 2003, havia 76.769 alunos matriculados nessas modalidades; no ano seguinte, o número saltou para 159.366. Somando todos os níveis de ensino, o número de alunos passa de um milhão.
A educação superior a distância é, portanto, uma chave para a tão falada democratização do acesso à educação superior. Tendo papel significativo no estabelecimento de um sistema de transmissão rápida e eficiente de novos conhecimentos ao setor produtivo, governamental e privado, atendendo às necessidades de requalificação de pessoal. O Brasil aprende rápido e os modelos de sucesso são logo imitados. A interatividade se dá a partir da comunicação entre alunos e professores através de perguntas mandadas via Internet pelo chat e que podem ser respondidas ao vivo via teleconferência, depois de passarem por um filtro de professores auxiliares ou tutores.
Em poucos anos dificilmente teremos um curso totalmente presencial. Por isso caminhamos para fórmulas diferentes de organização de processos de ensino-aprendizagem. Vale a pena inovar, testar, experimentar, porque avançaremos mais rapidamente e com segurança na busca destes novos modelos que estejam de acordo com as mudanças rápidas que experimentamos em todos os campos e com a necessidade de aprender continuamente.

Informações pesquisadas nos sites:


http://www.redebrasil.tv.br/salto/boletins2003/edu/tetxt1.htm

http://www.eca.usp.br/prof/moran/avaliacao.htm


Opinião própria:

Faço 4º semestre do Curso de Letras, pelo sistema EAD na Unopar Pólo de Santiago-RS, consigo escrever “ensino a distância” sem crase. Reconheço que sempre há o que ser aperfeiçoado, do mesmo modo o sistema presencial de nossa região apresenta muitas falhas e também carece aperfeiçoamento. Procurei a Universidade, no primeiro momento pelo valor da mensalidade, mas não entraria se não tivesse a certeza do reconhecimento pelo MEC, e da legalidade do sistema. Depois dessas confirmações, ainda não continuaria se não acreditasse no aprendizado que pode me proporcionar, todas essas dúvidas foram discernidas. Estou tirando muito proveito do curso, tenho certeza que sairei uma profissional plenamente qualificada. Não vejo motivos para “guerrinhas”,entre presenciais e virtuais, cada uma vai abranger um determinado grupo, sairão bons e maus profissionais das duas, não há razão para celeuma, o próprio mercado se encarregará de filtrar.

sexta-feira, 10 de agosto de 2007

Do site www.sni.org.br para conhecer um pouco sobre a Seicho-no-ie


O que é a Seicho-No-Ie?

É um ensinamento de amor que prega que o ser humano é filho de Deus, que o mundo da matéria é projeção da mente e, também, nos revela qual é a nossa verdadeira natureza. É uma filosofia que transcende o sectarismo religioso, pois acredita que todas as religiões são luzes de salvação que emanam de um único Deus.
Ano de Fundação: Fundada por Masaharu Taniguchi, em 1° de março de 1930, no Japão.
Quem foi Masaharu Taniguchi?

Dentre os líderes espirituais do Japão, Masaharu Taniguchi é um dos mais conhecidos e influentes. Através de suas preleções, livros, artigos, etc., atinge milhões de pessoas. Suas mensagens são simples, objetivas e capazes de modificar vidas.
Seicho TaniguchiAtualmente, o professor Seicho Taniguchi é o maior responsável pela Seicho-No-Ie em sua função de Supremo Presidente da Seicho-No-Ie.
A SEICHO-NO-IE é Religião ou Filosofia?

A Seicho-No-Ie pode ser considerada uma filosofia de vida e também uma religião, não há rigidez de conceito neste sentido. Ela tem como objetivo despertar no coração das pessoas a verdade de que todos são filhos de Deus e fazer com que, através de atos, palavras e pensamentos, tornemos este mundo um mundo melhor.
A felicidade de quem pratica:

Aqueles que praticam os ensinamentos da Seicho-No-Ie aprendem a reconhecer sua verdadeira natureza de filho de Deus e, em conseqüência disso, começam então a ocorrer fatos milagrosos como a cura de doenças, reconciliação de lares em desarmonia, exteriorização de grandes talentos, êxito profissional, solução de problemas econômicos e amorosos etc.
Para quem já tem uma religião:

Existem pessoas que, mesmo já sendo adeptas de uma religião e freqüentando assiduamente suas atividades, sentem-se muito bem e felizes ao entrar em contato com os ensinamentos da Seicho-No-Ie, que por sua vez recebe, com muito amor e carinho, todas as pessoas, sem nenhuma restrição.


***************
Em Santiago as reuniões são na Rua Barão do Ladário,1466
Segunda-feira 20:00 hs
Quarta-feira 16:00 hs

terça-feira, 7 de agosto de 2007

Na Capital

Passei a noite viajando, a temperatura dentro do ônibus estava boa, mas eu viajei com receio, com uma sensação ruim, não conseguia dormir, parecia que algo em mim não me deixava desconcentrar dos ruídos do ônibus, queria estar alerta. Felizmente cheguei em paz, comprei a minha passagem para a volta, esperei numa fila de quase uma quadra para pegar um táxi, fui para o hotel e ainda consegui relaxar um pouco. O curso, está de bom a regular, muitas coisas são ressaltadas, de grande importância, a máquina de café da DPM é tudo de bom, queria levá-la para casa. O centro de Porto Alegre não foi criado para pessoas como eu, acho tudo muito tumultuado, barulhento, ninguém vê ninguém, mas eu vejo coisas que são capazes de apertar o meu coração pelo resto do dia; em fevereiro quando fiz outro curso, havia uma índia morando com os filhos aqui na Andradas, era uma menina e um bebê, lembro que eu saía do hotel e passava por ela, chegava a noite e eles estavam no mesmo lugar, com suas poucas coisinhas, e alguma comida que ganhavam, hoje 6 meses depois, reconheci a mesma índia, a menina e o bebê que já caminha, praticamente no mesmo local, o cheiro ao redor é quase insuportável, o pior é que tanta gente passa e segue seu caminho, inclusive eu, estou no hotel, ar condicionado ligado, casaco, me sentindo culpada, cheia de indagações sobre a raça humana, mas aqui quentinha, e me sentindo impotente, diante de um mundo tão estranho, me recuso a achar isso normal. Sei que não vou mudar o mundo sozinha, mas gostaria de fechar os olhos e ao menos sonhar, com um mundo ideal, onde as pessoas pudessem ser sinceras, umas com as outras, onde não ficassemos com medo de estender a mão, onde não fosse necessário aos pobres de espírito, gastarem seu tempo tentando derrubar os outros para se sentirem melhores.

sexta-feira, 3 de agosto de 2007

Folga do meu Blog

Eu só escrevo durante a semana, porque nos finais de semana, vou para a minha outra casa, e lá há tantas coisas para eu fazer, para resolver, a minha família e meus amigos esperando por atenção. Não sobra tempo para escrever, nem lembro das perturbações que tive durante a semana, das coisas que me deixaram simplesmente indignada, lá tenho outras perturbações, outras indignações, meus cachorros para dar banho, muitos filmes para assistir nos domingos de frio e chuva, e na sexta-feira a noite, melhor dia da semana, comentar as coisinhas que vivemos, durante os quatro dias anteriores, namorando em frente a tv com um bom vinho, ou qualquer vinho, faço de conta que não estou vendo aquelas sujeirinhas, que só eu vejo, e que não estou louca para levantar, e ir arrumando tudo como eu gosto. Os dois cheios de histórias para contar ( a Isadora e o Denílson), e a minha cadela a Belinha, não pára de largar a bola perto da minha mão para eu jogar de novo, o Sadan (outro cachorro), fica arranhando a porta dos fundos e chorando quando ouve minha voz. Do banheiro vem o insuportável e irritante barulho do chuveiro, pingando, logo na minha casa, eu tão contra desperdícios e consumismos, mas tudo bem, vamos consertar, algum dia, quando um de nós estiver livre num dia de semana, para comprar o que precisa e chamar um encanador. Nada que impeça a felicidade dos membros da casa, adoro a minha casa, a cor que eu escolhi para as paredes, as almofadas bem coloridas, tudo tão aconchegante na sua simplicidade. É assim que sou feliz, quando eles estão bem, e sob o meu olhar.

******************
De segunda até quarta, estarei em Porto Alegre, fazendo curso de Licitações Públicas, já com as alterações da Lei Complementar 123/2007, na DPM, vou tentar me interar das mudanças, se é que vão saber para nos passar, espero que sim. Por três dias, sem sindicâncias, sem depoimentos.

quarta-feira, 1 de agosto de 2007

Tenham Postura!!!

Acompanho diariamente o blog da Vivian, do Júlio e admiro a postura que eles tomam diante da política e dos administradores e legisladores, citando nomes e doa a quem doer como disse o Júlio esta semana.
Que bom se nossos políticos, seguissem nessa linha. Não é o que vemos, a intenção é geralmente tumultuar e não ajudar a resolver. Todos eles um dia, foram cidadãos comuns, colonos, donas de casa, professores, fazendeiros, médicos, adolescentes, não existe ainda faculdade como critério para concorrer a vaga, nem curso específico de formação obrigatória, são pessoas com as mais diferentes e variadas profissões, defendendo suas linhas de pensamentos ou seus interesses próprios, porém há coisas, que não precisa de faculdade nem de curso, postura é uma delas. Ninguém sabe tudo de tudo, nem é dono absoluto da verdade e da mentira, humildade e sensatez, sempre caem bem, em qualquer situação. O vereador, o deputado, o prefeito, o presidente quando eleitos, passam a ser autoridades, adquirem um respeito dos demais, e o mínimo que se espera é que tenham postura, para ser o que são, oposição se oposição, mas baseados em alguma coisa, espera-se que seja naquilo que acreditam. Não estou generalizando, há pessoas honestas, honradas na política, falo dos tantos, que não sabem quem são e a que estão. Espero que se orientem, pois ano que vem é ano eleitoral, e como já citei noutro texto, o povo espera mais que “chinelos Havainas”, espera projetos e seus resultados, criticar é simples, ajudar a resolver é para quem tem postura.
Tomem postura ou montem o picadeiro e façam seus malabarismos, mas jamais me escalem para atuar.

DEUS SEGUNDO SPINOZA

“Pára de ficar rezando e batendo o peito! O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida. Eu quero que gozes, ...